Steven Jay Lynn faleceu em sua casa a 29 de março de 2024 com 78 anos, após uma batalha de 3 meses contra cancro. A sua morte antecede os seus pais, Herman e Barbara. Sobrevivem a sua amada esposa Fern Pritikin Lynn, a sua irmã Leslie (Richard) Ehrlich, a sua cunhada Phyllis (Larry) Galinkin, as suas estimadas filhas Jessica (Sere Chao) Lynn, enteada Nicole Pritikin, netos Julian Lynn Chao, Tyler Thibodeau e neta Angelaure Pierre. Também sobrevive a sua anterior esposa Jennifer Hudson Lynn. Era o tio favorito das suas sobrinhas, sobrinhos e sobrinhos-netos. Steve era um primo especial para Michael Kline, Ilene Berns-Zare e Ed Zare.
Steve nasceu e cresceu em Chicago, Illinois numa casa caracterizada por amor incondicional, um traço que continuaria com a sua família, família extensa, amigos, colegas e alunos. Generosidade fazia parte do seu ser. Ele disponibilizou o seu tempo para ajudar todos que precisavam dele. A sua vida é marcada pela sua curiosidade insaciável e amor por aprender.
Steve era um perito reconhecido internacionalmente e prolifico autor em múltiplas áreas de Psicologia Clínica. O seu trabalho tinha como focos hipnose, dissociação, fantasia, falsas memórias, trauma sexual e vitimização. Em anos recentes, realizou várias publicações sobre pseudociência, mitos sobre Psicologia, pensamento crítico e intervenções baseadas na evidência. Steve tinha orgulho no seu livro introdutório “Psychology: from Inquiry to Understanding”, já na sua quinta edição.
Steve recebeu o seu Mestrado pela Universidade de Michigan e o seu Doutoramento em Psicologia Clínica pela Universidade de Indiana. Steve começou a sua carreira académica na Universidade de Ohio, atingindo a categoria de professor agregado. Em 1996, Steve juntou-se aos quadros da Universidade de Binghamton onde foi promovido a Professor Distinto, servindo como Diretor do Programa Doutoral em Psicologia Clínica e Diretor do Departamento de Psicologia da Clínica de Psicologia. Recebeu o Prémio de Excelência do Reitor em Atividades Criativas e Académicas.
A longa lista de prémios de Steve inclui um Prémio de Uma Vida pela Universidade de Indiana e o melhor livro publicado sobre hipnose clínica. Ocupou o 49º lugar na lista de “Melhores Autores de Publicações Académicas em Programas de Doutoramento de Psicologia Clínica” e foi reconhecido com um dos especialistas mundiais no campo da hipnose. Orgulhou-se por ser o editor fundador de uma grande revista profissional, Psicologia da Consciência.
Juntamente com os seus colegas, no início dos anos 80, Steve realizou os primeiros estudos sistemáticos no que nomeou de “personalidade propensa a fantasia”, composta por pessoas que eram altamente sugestionáveis e hipnotizáveis. O trabalho de Steve iluminou vários conceitos relacionais como propensão à fantasia, tais como hipnose, dissociação, trauma e falsas memórias. As suas descobertas trouxeram um novo entendimento dessas experiências e estratégias para aliviar o sofrimento de todas as pessoas que se debatem com perturbações como fobias, dissociação e trauma. Ele advogou a visão do comportamento hipnótico como recetivo a ser compreendido através de examinação científica, distinta de antigas noções de hipnose, como um transe misterioso.
A competência de Steve em Psicologia Forense levou a que fosse requisitado em testemunhar como perito numa série de casos criminais, onde hipnose foi utilizada para melhorar ou recuperar memórias. O trabalho de Steve revelou que hipnose aumenta as imprecisões de memória e aumenta, de maneira problemática, a confiança da pessoa no seu relato. O testemunho de Steve tornou-se essencial para que o Supremo Tribunal do Canadá tomasse a decisão de banir todos os testemunhos elicitados por hipnose e, neste momento, a maioria dos estados não permite o testemunho de testemunhas que tivessem sido hipnotizadas.
Juntamente com as suas conquistas académicas, Steve era uma pessoa calorosa, generosa e com grande compaixão pelo outro, que se orgulhou em ter orientado vários alunos de Doutoramento assim como jovens profissionais, na fase inicial das suas carreiras. Dos mais de 400 artigos científicos e mais de 20 livros publicados, muitos foram o resultado da colaboração com estudantes e colegas, de todas as partes do mundo. Steve tinha um magnifico sentido de humor e um reservatório de histórias incríveis que traziam lágrimas de tanto riso, aos seus amigos e família. Para além dos seus interesses académicos, Steve mantinha uma prática privada de Psicoterapia. Gostava de golf, cultivava os laços de amizade com o seu grupo de amigos “Os Homens Poderosos”, tocava harmónica para assustar ocasionalmente os seus alunos e amigos. O seu amor pela família não tinha limites.
Um serviço fúnebre será realizado no Templo Concord, na Rua Dr. Riverside, nº9, Binghamton Nova Iorque, pelas 14 horas de 4 de abril de 2024.
Todos os donativos que queriam realizar, em memória de Steven Jay Lynn, podem ser entregues ao Memorial Sloan Kettering Cancer Center, PO Box 27106, NY, NY 10087-7106 ou à Fundação Universitária de Binghamton, Fundo Clínico Científico, Nº de Conta #10367; Donativos são aceitos via online em giving.binghamton.edu.

Steven Lynn Obituary – Allen Memorial Home